Livreto artesanal de baixa tiragem feito em parceria com Maria Carolina Sampaio. O volume não possui texto, trata-se de um comentário visual sobre a obsolescência no universo gráfico.

O papel fotossensível, usado para provas heliográficas, possibilitou que o livro se modificasse na presença do leitor, materializando a passagem do tempo.

No evento de lançamento na galeria Vermelho, o público destacava as extremidades do envelope lacrado encontrando um livreto em papel fotossensível. Este papel, sensibilizado anteriormente, reagia ao contato com o ar, revelando progressivamente silhuetas de objetos de desenho em desuso, como curvas francesas, réguas de composição, letraset, etc.

Objetos colocados sobre o livro também deixavam marcas, mas em pouco tempo esse processo se estabilizava, deixando gravadas as intervenções.


2010
com Maria Carolina Sampaio