Sertão 36º Panorama da Arte Brasileira MAM SP


“Sertão não deve ser entendido como um tema, mas como uma forma de enunciar.” A partir da proposta da curadora Júlia Rebouças para esta edição do Panorama, foi desenvolvido um alfabeto mutante e experimental. A palavra Sertão aparece grafada neste alfabeto, que usa caracteres diferentes a cada aparição.

Ao mesmo tempo que as letras causam um estranhamento, sua singularidade se converte em uma potência de comunicação que ultrapassa o alfabeto usual.

O nome da exposição aparece grafado de uma forma diferente a cada aplicação. Para a comunicação interna da exposição foram feitas máscaras de vinil e todas as informações foram pintadas diretamente nos painéis.


2021

assistente Lívia Takemura curadoria Júlia Rebouças arquitetura Risco fotos da exposição Nelson Kon

identidade visual, editorialexposição, arte, mam-sp