Avenida Niévski

Nesta novela Gógol faz da principal avenida de São Petersburgo o centro da narrativa. A trama começa e acaba em um passeio na avenida Niévski, a partir do qual o autor retrata, com ares fantásticos e absurdos, os tipos sociais da Rússia.

O projeto combinou a narrativa com gravuras da época que reproduzem a avenida de ponta a ponta. A disposição do texto nas páginas está dividida em dois blocos espelhados, numa referência ao fluxo dos passantes por ambos os lados da via.

Ao folhear o livro, o leitor atravessa todas as fachadas do lado direito da avenida, entra no texto e, em um momento chave da narrativa, o sentido de leitura se inverte, e o livro gira 180 graus. Voltando as páginas, o leitor percorre, por fim, todas as fachadas do lado esquerdo e retorna ao ponto de partida, completando assim o mesmo movimento que o personagem principal.

A edição inclui ainda “Notas de Petersburgo de 1836”, ensaio do mesmo autor, contemporâneo ao romance. Os volumes vêm embrulhados em um fac-símile de jornal da época.


2012