28ª Bienal de São Paulo

A curadoria dessa edição decidiu deixar o segundo andar do prédio da Bienal vazio. A marca proposta para o evento comenta essa decisão, operando um corte e um deslocamento que levam a um rearranjo formal que revela novas articulações sintáticas.

Como os curadores propunham uma revisão crítica da história da instiltuição, o cartaz é uma serigrafia sobre o cartaz da primeira Bienal, de Antonio Maluf. O mesmo conceito se aplicou à capa do guia.


2008
com Daniel Trench e Flavia Castanheira